Archive for Março 2012

Seção Poema — Em Cantos

segunda-feira, 19 de março de 2012 § 0

Em Cantos

Preciso contar um conto
que contenha tais encantos
para encostado em qualquer canto,
ao som de belos cânticos,
te mostrar o quanto conto
com o amor que não encontro.

(Wesley Rezende)

Dístico — Sequestro

§ 0

Sequestro

Capturei uma flor que se perdia ao vento.
Esqueci-me das notas que me dariam a tempo.

(Wesley Rezende)

Seção Poema — Crédito

sexta-feira, 9 de março de 2012 § 0

Crédito

Não me negue mais dois versos
Para eu provar que existem riquezas
Bem no fundo do oceano.

Só mais alguns minutos, por favor,
Para eu preencher fortes linhas
Em papel de esperança.

(Wesley Rezende)

Seção Poema — Projetor Tumultuado

quinta-feira, 8 de março de 2012 § 0

Projetor Tumultuado

Era uma vez, num tempo muito distante chamado hoje,
Alguns bastardos ficaram hipnotizados com sombras na parede.
Enquanto um lunático movimentava transparências sobre uma luminária,
Insetos se aglomeravam em torno de muitas letras.

Uma cigarrinha estagnou-se às margens do conceito.
Pequena mariposa ficava grande e pequena,
E o mosquito mais ligeiro estava sonolento.

Mas um apito psicológico sinalizou o momento certo.
A luz apagou.
As luzes acenderam.
E os insetos desceram as escadas.

(Wesley Rezende)

Seção Poema — Volta às aulas

sábado, 3 de março de 2012 § 0

Volta às Aulas

Fico desapercebido entre teorias e fofocas;
Meus pensamentos buscam um alento.
Cansada está a minha mente:
Protocolos, declarações, receitas e dividendos.

Saudosista, exageradamente,
Anseio pelos tempos em que,
Paciente,
Ouvia meus professores.

(Wesley Rezende)